29.12.09

O empresariado nacional e a ditadura brasileira


Esse é o trailer de um documentário chamado “Cidadão Boilesen” que mostra a cooperação financeira e física que o industrial dinamarquês naturalizado brasileiro Henning Boilesen deu aos torturadores e assassinos da ditadura militar brasileira. O filme é dirigido por Chaim Litewski, o qual fez um trabalho minucioso com entrevistas, trechos de filmes e outros recursos para traçar o perfil sádico desse empresário, o qual foi assassinado pela guerrilha em 1971. Isso revela como a ditadura obteve apoio de alguns empresários, tanto pela simpatia ao regime quanto pela coerção. No caso de Boilesen, ele se aproximou do regime e arrecadou fundos de outros empresários para sua sanha anticomunista na época, tanto que participava das sessões de tortura e ainda ajudou a sofisticar os métodos de tortura do DOI-Codi. Outros empresários também foram entusiastas e colaboracionistas do regime e também estavam marcados para morrer como: Pery Igel (dono do grupo Ultra) e Sebastião Camargo (fundador da empreiteira Camargo Corrêa).
O golpe de 1964 foi uma tragédia na história do Brasil, pois solapou as instituições democráticas e torturou e assassinou aqueles que achavam ser “subversivos” ou colaboracionistas destes. Além de fazer alianças com outras ditaduras sul-americanas através da Operação Condor, a qual resultou entre tantos assassinatos, na morte do presidente deposto João Goulart (Jango). Mas o golpe militar brasileiro não foi um clamor da sociedade como dizem alguns que querem reescrever a história com essa falácia, os mesmos que agora tentam dar legitimidade ao golpe em Honduras. Documentos secretos dos EUA liberados há pouco tempo revelaram que o golpe foi financiado pela CIA e apoiado militarmente pelo país. Lógicamente tudo isso se deu no clima da guerra fria. O embaixador Dr. Gordon em 1976 admitiu que o governo norte-americano estava pronto para intervir militarmente no país, caso a esquerda alcançasse o poder. Por isso, sem o apoio dos EUA o golpe de 64 não existiria.


Share/Bookmark

2 comentários:

Bruno disse...

Parte da classe empresarial brasileira – e por que não dizer da chilena com relação a Pinochet e à possibilidade de vitória de Sebastián Piñera nas eleições do Chile – ainda tem a mentalidade ditatorial que se promoveu no nosso país. Abaixo os militares! Só trouxeram desgraça para o Brasil e entregaram nossos recursos naturais e humanos aos gringos! João Goulart e Jânio Quadros foram dois estadistas que tentaram tirar o Brasil do buraco e das mãos de grandes empresários nacionais e estrangeiros. A Aliança para o Progresso – ALPRO foi uma tentativa de os Estados Unidos se contraporem a Cuba nos anos 60 para conter o avanço do socialismo na América Latina. Chegaram ao ponto de, em alguns países, distribuírem alimentos para a população a fim de chamá-los para o lado do capitalismo. Hoje as técnicas de abdução de latino-americanos são mais sofisticadas.

Beto - João Humberto Venturini disse...

Concordo com vc Bruno. Será q a direita está voltando na América Latina? Vamos esperar. Infelizmente aqui no Brasil tem alguns q querem reescrever a história e fazer com q os algozes da ditadura virem vítimas.