1.8.12

Resposta ao Governo do Estado

Parece que o governo estadual paulista não gostou das minhas críticas no meu último artigo sobre os nefastos pedágios do estado, o qual publicado no jornal A Tribuna Piracicabana. Abaixo está a reprodução do meu artigo e da resposta do governo do estado:
O Governo do Estado de São Paulo tenta, na resposta (01/08) ao meu artigo sobre os abusivos pedágios e o novo sistema de cobrança Ponto a Ponto, mais uma vez ludibriar os cidadãos paulistas. A assessoria do governo diz que o Ponto a Ponto não afetará os trechos urbanos das rodovias pedagiadas e vão fazer de tudo para os motoristas não serem mais lesados pelos pedágios. Devido ao histórico de promessas não cumpridas de todos os governadores tucanos, ainda mais na questão dos pedágios - como recentemente citei no texto anterior, onde Alckmin disse que revisaria os preços, mas o fez para cima – não se pode confiar na palavra do governo do estado. Esse mesmo governo também disse que não haveria pedágios no rodoanel e logo depois de inaugurado o encheu de praças de pedágio. Assim como pedagiaram as marginais da rodovia Castello Branco na região metropolitana de São Paulo, onde deixaram a população sem alternativas. 
Portanto, o que diz o governo do estado em relação aos pedágios não se leva a sério e por isso a relação com o personagem Pinóquio cai muito bem. Aliás, desrespeitoso é o governo paulista e seu líder prometerem e não cumprirem e, pior ainda, lesarem mais ainda o bolso dos contribuintes do estado. 
Sobre a arrecadação, no meu artigo escrevo o que é público e vergonhoso o total da arrecadação de R$ 6,8 bilhões pelas concessionárias do estado no ano passado. Com o novo sistema, poderá sim aumentar a arrecadação se houver a cobrança nos trechos urbanos, pois devido ao histórico mentiroso desse governo, o que se espera é que a sanha privatista dos tucanos beneficie mais uma vez somente as concessionárias. A falácia da diminuição do preço no sistema novo esconde a política subserviente deste governo em relação aos grupos que controlam os pedágios, pois deixaram os preços subirem a níveis estratosféricos para depois enganar e dizer que agora está “barato”, mas que na verdade continuam caros. 
As minhas críticas tem viés partidário sim, pois como escrevi, a proliferação descontrolada de pedágios é política de governo do PSDB, o qual faz questão de elaborar contratos que beneficiam as concessionárias e lesam os paulistas. E tem o agravante de o mesmo partido estar no poder aqui no estado há quase 20 anos e que durante todo esse tempo só se importa com o bolso cheio dos empresários que controlam essas concessionárias. Mas faço as críticas como cidadão comum que exerce o direito a liberdade de expressão e não como militante partidário.

Share/Bookmark

2 comentários:

Anônimo disse...

Gostei do seu texto. Só acho que você deveria se focar mais no interior do estado, que não tem o apoio de ninguém. A região metropolitana de SP tem todo o lobby da midia da capital. Lá, eu DUVIDO que o Alckmin "implante" esse sistema. Já aqui, no interior...

Tirando PEDÁGIO e PRESÍDIO, não sobra muita coisa para aquela tucanada contar história aqui no interior e, mesmo assim, eles ainda ganham eleição "nesses lado".

Abraços

Beto - J.H. Venturini disse...

Obrigado!
Eu já tratei sobre os pedágios aqui da região, pois o pessoal de Saltinho paga pedágio dentro do próprio município e escrevi sobre o pedágio absurdo da rodovia do açúcar, q é pista simples e ruim.
Infelizmente aqui no interior a tucanalhada deita e rola, ainda mais aqui em Piracicaba onde o PT q era única oposição morreu!. A mídia é baba-ovo e é difícil lutar sozinho contra essas forças.
Mas obrigado pelo apoio.
Continue comentando no blog.
Abs