15.5.12

A Barbárie ocorrida no Pinheirinho e o “Dedo na Ferida”

No inicio deste ano de 2012, o governo do estado de São Paulo, sob comando de Geraldo Alckmin (PSDB), mostrou como o poder público é usado para atender sempre os interesses dos ricos e poderosos. O caso da barbárie do Pinheirinho foi emblemático nessa relação espúria, onde governos em conluio estratégico com membros do judiciário fazem valer a lei somente quando é contra a população pobre. O pior é que esses são vítimas da desinformação e criminalização por parte da imprensa brasileira, a qual, no caso Pinheirinho, foi conivente com a truculência da desocupação feita pela polícia e ainda aceitou normalmente a censura que houve na cobertura desse episódio triste. Uma comunidade que estava ali desde 2004 em uma área abandonada de São José dos Campos, a qual pertence a ninguém menos que Naji Nahas e que devia á prefeitura, R$2 milhões só em IPTU, pois a dívida total é de mais de R$ 14 milhões. Devia, pois após a desocupação, a justiça perdoou parte dessa dívida (caiu para quase R$ 400 mil) para aliviar a situação “difícil” dos credores do Nahas.
O caso Pinheirinho, como ficou conhecido, teve repercussão mundial devido ao emprego de extrema violência e abuso do poder da polícia contra cidadãos indefesos. O triste desfecho é culpa direta do governador Alckmin, do prefeito Eduardo Cury (curiosamente também do PSDB) e da juíza Márcia Loureiro, a qual determinou rapidamente a reintegração de posse e ainda zombou indecorosamente da violência ocorrida no despejo ao exaltar os policiais e achar tudo normal.
Bombas, gás lacrimogêneo, spray de pimenta, balas de borracha (parece que foi usada até munição letal), cassetetes, junto com a brutalidade habitual dos 2 mil policiais militares mandados pelo Alckmin no socorro ao “amigo” Naji Nahas, foram no mínimo, um crime contra os direitos humanos. Não havia distinção, pois qualquer um, tanto fazia se era homem, mulher, velho ou criança, foram literalmente enxotados dali com extrema violência. Infelizmente é assim em toda desocupação, onde a população já vive em condições precárias e muitas vezes estão até acostumados com cenas de barbárie como essas. Como diz o rapper Emicida na música “Dedo na Ferida”: “terra onde bebês respiram gás lacrimogêneo”.

Os dois vídeos abaixo mostram como ocorreu esse massacre no Pinheiro, inclusive o vídeo de um morador espancado covardemente por alguns policiais.


Para as “autoridades” é fácil, pois depois é só dizer que cumpriram a lei e no caso de ocupações feitas pelos desfavorecidos o motivo quase sempre são dois: ou é área particular ocupada ou área de preservação ambiental. Mas aqui vale a máxima, onde a lei é para os inimigos não é? Pois bem, não vejo o mesmo ímpeto dessas "autoridades" em coibir e muito menos mandar desocupar condomínios de luxo, os quais alguns invadem, loteiam e cercam áreas públicas, sendo a maioria áreas de preservação ambiental. Exemplo maior é notado na região litorânea norte do estado paulista, onde condomínios de alto padrão devastam cada vez mais o que resta da mata atlântica no estado. Sobre isso vale destacar, mais uma vez, a percepção do Emicida que em uma entrevista falou sobre um despejo que sentiu na pele: “é muito bizarro, porque você olha pra Serra da Cantareira e tem uma pá de mansão no meio das árvores mesmo. Cada vez abrem-se mais clareiras, de noite tem uma pá de luz acesa no meio da floresta. A gente tinha uma cachoeira, os caras cercaram e a cachoeira virou o quintal de alguém.” Quem quiser conferir o resto da entrevista está nesse link
Aliás, Emicida foi preso recentemente em Belo Horizonte por “desacato”. Ele se solidarizou com outra comunidade que, assim como no Pinheirinho, estava sofrendo com a violência policial durante despejo da Ocupação Eliana Silva, e disse para todos levantarem o dedo do meio contra isso. Fez isso em referência a excelente música composta por ele sobre o episódio Pinheirinho, citada anteriormente (“Dedo na Ferida”), a qual diz tudo e com isso finalizo esse texto.

Share/Bookmark

3 comentários:

Anônimo disse...

tenho observado alguns blogs com perfil defesa social e tenho observado que muitas pessoas nao comemtam...seria vergonha ou medo.
ambos os sentimentos se misturam pois sinto medo do futuro com tanta injustiça, e sinto vergonha em ser brasileiro...

Anônimo disse...

carvalho-eac@bol.com.br

que vergonha... é hora de mudança a repressao já passou... é hora de liberdade, grite o quanto quizer contra o Estado repressivo contra os pobres e a favor dos ricos

Beto - J.H. Venturini disse...

Com ctza é horrível ver tanta injustiça como essa!! Aos pobres a lei, aos ricos os inúmeros recursos judiciais q no final os livram de qualquer punição. Tenho vergonha maior dessa elite racista conservadora q ainda comanda o país.