12.4.11

A Venezuela que você não conhece



Muitos brasileiros têm mania de zombar, muitas vezes sem conhecer, os norte-americanos em relação ao pouco conhecimento destes sobre outros países que não o deles. Essa crítica geralmente é em relação as questões geográficas e geopolíticas que muitos norte-americanos insistem em generalizar tudo e todos. Mas não são só eles, pois aqui nós, brasileiros, também fazemos isso. Um exemplo disso é a ojeriza que muitos possuem ao ouvir falar na Venezuela. Imediatamente o país é ligado a figura do seu presidente Hugo Chàvez, o qual é alvo preferencial das mais diversas análises e notícias, todas negativas, que a imprensa brasileira (chamada oportunamente de PIG) faz quase que diariamente. A mídia brasileira notoriamente sempre foi e ainda é muito subserviente aos Estados Unidos (EUA), pois enxerga o mundo de acordo com o que o departamento de estado deles quer. Quem é considerado do “mal” ou “inimigo” dos EUA, automaticamente acaba tendo apenas um lado mostrado pela imprensa, como é o caso de Chàvez e seu país. O outro lado sempre acaba sendo deixado de lado para atender interesses que visam a demonização de um líder muito popular em seu país e que discorda publicamente dos anseios da maior potência militar do mundo. Embora as bravatas de Chàvez acabem sendo a maioria desnecessárias, é inegável que o seu governo mudou a Venezuela pra sempre. Também não se pode negar que a radicalização política da Venezuela não foi culpa de Chàvez, mas sim de uma oposição racista e preconceituosa que apoiada diretamente por um país estrangeiro (lógicamente os EUA) deu um golpe de estado, o qual felizmente fracassou depois de algumas horas. Aliás, esse golpe foi também orquestrado pela imprensa venezuelana, a qual teve participação direta e criminosa como mostra o documentário chamado “A Revolução Não Será Televisionada”. Hoje em dia, já se tornou comum na imprensa nacional retratar a Venezuela como uma “ditadura” ou como um “regime chavista” e são repetidos a exaustão para que os mais alienados acreditem e repitam isso por ai. É o que acontece e um dos pontos que foi muito levantado por aqui foi a não renovação da licença de operação de uma rede de televisão, a RCTV. Pronto, isso bastou para o PIG alardear que na Venezuela ocorre censura dos meios de comunicação, o que não é verdade. Aqui foi passado que o governo venezuelano “fechou” a rede, como se tivesse invadido suas dependências e fechado com cadeado. Mentira, pois a RCTV continua operando normalmente na internet e na TV a cabo e como não cumpriu com suas obrigações legais, como rege a constituição assim como é aqui também (mas não cumprem), e ainda participou ativamente do golpe, sua licença não foi renovada. Pra quem viu o vídeo que citei anteriormente, imagine se o mesmo tivesse sido feito por emissoras norte-americanas (não uma, mas todas) contra Bush na época. Seriam todas bombardeadas isso sim. Para ler sobre a real situação da imprensa venezuelana vale o relato do jornalista Rodrigo Vianna nessa entrevista. Para desmistificar essa visão falsa e totalmente manipulada que a mídia aqui no Brasil passa sobre a Venezuela, destacarei uma reportagem do excelente jornalista Luiz Carlos Azenha feita para o Jornal da Record, o qual anda se destacando em sair do pensamento único da grande imprensa brasileira. O primeiro vídeo que destaco é sobre a situação econômica, política e social da Venezuela.

Vejam que a elite venezuelana é preconceituosa e delirante, assim como a brasileira. Alardeiam algo que não existe, no caso dizer que a Venezuela é uma ditadura, mas tem liberdade de falar e fazer o que querem, inclusive protestos. Engraçado a Madame e o playboy que “trabalha” com barcos e iates alegarem isso diretamente do conforto que a maioria não dispõe e que apóia Chàvez. Não há ditadura por lá e sim uma histeria das grandes corporações midiáticas do mundo em fazer uma mentira virar verdade.


Nesse segundo vídeo que eu destaco é sobre o sistema criado na parte da cultura no país.


Há alguns dias atrás, eu estava assistindo o jornal da Bandeirantes e o correspondente Eric Nepomuceno estava falando diretamente da feira do livro que estava acontecendo na Venezuela. Ele disse que a política de incentivo a leitura e outros programas relacionados a essa parte dão resultados impressionantes como pôde constatar ali. Mas lógicamente, para não perder o costume, criticou alguma declaração feita por Chavez naquele dia. Tudo para não dar o braço a torcer e dar crédito positivo para iniciativas do governo venezuelano.


Abaixo estão o resto dos vídeos da reportagem sobre a Venezuela que nunca é mostrada por aqui.


As praias venezuelanas


O petróleo da Venezuela


O alerta nas enchentes


Share/Bookmark

2 comentários:

Anônimo disse...

O "Sistema" da educacao musical na Venezuela tem sido fundado pelo profesor de economia (e musico) Jose Antonio Abreu, depois 1975. A idea filosofica-pedagogica es: Ensinar ao povo de se harmonicar entre se mesmo - um com o outro. Produtos do "Sistema", veja os videos na youtube "Danzon No. 2" (A orquesta mais conhecida do "Sistema" em viagem na Europa) e "Orquesta Sinfonica Penitenciaria Chamambo" (o "Sistema" funcionando nos penitenciarios). Atensiosamente, jan z. volens

Beto - J.H. Venturini disse...

Caro Jan z. Volens: eu vi alguns documentários sobre o José Antonio Abreu e o excelente trabalho idealizado e feito por ele q é o Sistema. A orquestra Símon Bolívar se apresentou há pouco tempo aqui no Brasil e ganhou repercussão.Infelizmente tem os q colocam em 1 lugar a ideologia e misturam tudo ao tentar reduzir o trabalho, inclusive do maestro Dudamel, dizendo q ñ se compara à uma Osesp.
Obrigado pelo comentário!